Deck para Arena 11 com Aríete de Batalha e Mineiro

0

A dica de deck hoje é para quem quer alcançar a Arena 11, usando Mineiro com Aríete de Batalha. O Deck foi criado pelo jogador “Gooose26” e fica ainda mais forte a partir do dobro de elixir, mas proporciona uma defesa sólida antes disso.

Deck com Mineiro e Aríete de Batalha

Então vamos conhecer as cartas e conferir o guia de utilização deste deck:

Carta Aríete de Batalha Clash Royale - Cards Wiki Carta Mineiro de Clash Royale - Cards Wiki Carta Servos de Clash Royale - Cards Wiki Carta Veneno de Clash Royale - Cards Wiki
Carta Exército de Esqueletos de Clash Royale - Cards Wiki Carta Cabana de Goblins de Clash Royale - Cards Wiki Carta Gangue de Goblins Clash Royale - Cards Wiki Carta O Tronco de Clash Royale - Cards Wiki

  • Cabana de Goblins: A principal carta que causará danos de pouco em pouco no adversário ou forçará ele a gastar elixir para se defender, pois o intervalo de geração de goblins é de 4,9 segundos. Mas não use esta carta a menos que você tenha de 8 a 10 de elixir, pois se o adversário fazer um combo rápido, você pode não conseguir se defender ha tempo.
  • Mineiro: Esta carta é usada para causar dano à torre e pode forçar o adversário a usar Exército de esqueletos, estude o ciclo do deck dele para fazer um predict com o tronco.
  • Servos: Eles são usados para eliminar tanques, alvos aéreos com um dano por segundo considerável, também é uma boa carta para suporte do Aríete de Batalha ou Mineiro.
  • Gangue de Goblins: Dano por segundo considerável. Esses caras vão te ajudar a combater Gigante, Golem ou um Corredor se você não tiver o exército de esqueletos na mão. Esta carta não é eliminada com Zap, pois 3 goblins vão sobreviver e continuarão a dar dano. Neste deck não há muitas cartas para combater alvos aéreos, então eles podem ser usados contra tropas pequenas como Servos, Megasservo ou algo maior como Lava hound.
  • Aríete de Batalha: O aríete pode ser usado de 3 maneiras diferentes. Para pouco dano, acabar com construções e defensivo. Na defesa o Aríete de batalha vai parar qualquer coisa que tenha eles como alvo, como Bárbaros de Elite ou Mini PEKKA, mas eles não serão completamente parados. Na ofensiva, um Aríete de batalha pode ser usado para destruir uma construção do adversário como uma Fornalha, para que sua cabana de goblins consigam chegar na torre dele para continuar a dar dano. O aríete de batalha também pode causar uma quantidade de dano considerável se você conseguir fazê-lo chegar na torre. Então levando em consideração que o Mago Elétrico é um dos counters mais populares para ele, ‘force’ o adversário usar a carta (caso ele tenha ela) e com isso as chances do aríete de batalha chegar na torre são maiores.
  • Exército de Esqueletos: Um grupo de unidades frágeis, mas que se chegar no alvo pode causar um alto dano por segundo, caso o adversário não use zap ou tronco. Pode ser uma boa usá-los para combater corredor, Golem ou Gigante.
  • Veneno: Sua principal carta de suporte para proteger os seus combos. Ele vai matar hordas como esqueletos, servos ou goblins que forem uma ameaça e ainda causará um pouco de dano à torre.
  • Tronco: Estou certo de que todo mundo sabe como o tronco funciona e como aproveita-lo ao máximo, no entanto o tronco é muito bom para a defesa e para o ataque. Ele também vai acabar com hordas por apenas 2 de elixir e também possui a habilidade de empurrar tropas para atrás.

O estilo de jogatina deste deck consiste na defensiva. O aríete de batalha tem uma habilidade bem diferente que muitos jogadores não estão acostumados a usar, então pode ser que algumas pessoas não achem tão fácil usá-lo. Mas após prática, o criador do deck disse ter conseguindo uma sequência de 12 vitórias seguidas com ele.

Se você conseguir jogar com este deck, vai ver que após alguns pushs vai conseguir ir tirando pouco a pouco vida da torre até derruba-la. Use o veneno ou tronco para dar suporte e causar dano à torre também. Então é isto, todos os créditos pela criação do deck são do jogador Gooose26, espero que tenham gostado!

Comentários via Facebook