Salve, pessoal, AFECT aqui. E hoje falaremos de um dos recursos mais escassos do jogo: O OURO!

Constantemente ele se mostra como a barreira existente entre você e o deck, ou as cartas, que gostaria de usar. Se você acha que o jogo deveria ofertar um pouco mais de ouro, eu concordo com você, mas, como isso não depende de nós, vou me focar na parte em que podemos interferir, que é administrando e tornando o nosso ouro mais “produtivo”.

Vamos começar recapitulando algumas coisas simples:

  • Doar cartas pode te render bastante ouro;
  • Desafios são a fonte mais rentável do jogo para obtenção de ouro;
  • Cartas que já acumularam a quantidade máxima transformam-se em ouro;
  • Comprar cartas lendárias na loja, normalmente, é um tiro no pé; (fiz um artigo inteirinho sobre isso: Vale a pena comprar Carta Lendária e Promoções na Loja?)

Num universo ideal, onde o ouro não fosse tão escasso, o melhor seria ter todas as cartas em níveis proporcionais, e nosso deck principal um pouco mais melhorado, mas, como isso está longe de ser realidade para a maioria dos jogadores, aqui vão algumas dicas que podem te ajudar muito:

Cartas “Coringa”

Um conceito que me ajudou a salvar bastante ouro é o das Cartas Coringa, que são aquelas que têm utilidade para vários decks. Como é o caso do Coletor de Elixir, por exemplo, que pode ser utilizado em decks de 3 Mosqueteiras, decks de Golem, em alguns de Gigante… Outro exemplo são as Arqueiras, custam 3 de elixir, batem tanto terrestre quanto aéreo e são de raridade comum, todos esses fatores fazem com que ela seja uma carta bastante versátil e utilizável em praticamente todo deck que você quiser, de Gigante, de Corredor, de X-besta, de Golem…

Minha ideia não é criar uma lista exaustiva com todas as cartas, até porque isso é uma coisa que varia com uma certa frequência e depende bastante do seu estilo de jogo, mas sim conscientizá-lo do fato de que existem cartas que são versáteis, e que dessa forma servem para vários decks e que, por esta razão, devem estar entre as suas prioridades para investir seu ouro. Notem que o caso do Coletor de Elixir e das Arqueiras, que são cartas bastante versáteis, é totalmente diferente do Canhão, por exemplo, que é uma carta que dificilmente vê-se sendo utilizada em algum deck que não seja o rápido de Corredor. Não tenho a intenção de dizer que o Canhão é uma carta fraca ou ruim, apenas que, diante de uma escolha, talvez ele não deva ser a sua prioridade.

Cartas Semelhantes

Outra coisa a ser compreendida são as Cartas Semelhantes, que são aquelas que, em sua essência, desempenham funções parecidas. Eu não sei se vou conseguir fazer você concordar comigo, mas pense nas seguintes cartas:

  • Mosqueteira, Mago e Executor

Elas são bem diferentes entre si, correto? Mas eu também consigo enxergar algumas semelhanças: São tropas individuais, terrestres e que batem tanto em solo quanto aéreo. Se retirássemos a Mosqueteira da lista, poderíamos acrescentar o fato de terem o mesmo custo e baterem em área. O ponto que quero chegar é que, apesar de serem cartas que fazem coisas bastante diferentes, se você tem recursos limitados, você deveria escolher apenas uma das três, pela simples razão de que isso te pouparia recursos.

Vamos supor que sua escolha foi o Mago e você quer utilizar um deck que usa o Executor ou a Mosqueteira, isso certamente influenciaria nos combos e jogadas, mas você poderia fazer uma adaptação e utilizar o Mago no lugar delas. Identificando cartas que desempenham funções semelhantes e investindo numa única, você está poupando muitos recursos. É claro que é muito diferente utilizar um deck de Executor com a Mosqueteira no lugar dele, mas você continuará tendo uma tropa terrestre que dá dano aéreo e terrestre.

  • Outro grupo: Fornalha, Lápide, Cabana de Goblins. São bem diferentes, né? Mas são construções que servem de distração e geram unidades…
  • Outro grupo: Bola de Fogo, Veneno e Foguete. Novamente, bEEEEm diferentes, mas, são feitiços de dano direto a torres e tropas.

O que torna essas substituições possíveis é o fato de que na maioria dos casos que usei como exemplo, essas cartas desempenham o papel de suporte, ou seja, não são o core do deck. Não seria possível colocar, por exemplo: Gigante, Corredor e Golem no mesmo grupo e tentar substituí-los entre si, porque são cartas que são o coração dos decks em que são utilizados, em outras palavras, normalmente são as Win Conditions, você até pode escolher se focar em apenas um desses (inclusive é o que muitos jogadores fazem quando têm poucos recursos), mas, diferentemente dos outros exemplos, não são opções de substituição mútua, pois, normalmente, vêm acompanhadas de suportes diferentes, eu poderia substituir o mago pela Mosqueteira no deck de Golem, mas jamais o Golem no deck de Golem…

Claro que teria mudança na dinâmica do deck, na velocidade de rotação (para o caso de substituição de cartas de custos diferentes), mas a questão é: desde que não seja uma carta chave, você pode substituí-la por uma que exerça um papel parecido e ainda assim conseguir utilizar o deck.

Por favor, não pense que estou dizendo que estas cartas são iguais e que você jogará da mesma maneira com qualquer uma delas, só estou dizendo que, diante da necessidade, você pode se focar em apenas uma delas deixando recursos para outros grupos, a medida que você for progredindo e tendo essas cartas bases num bom nível, você pode ir partindo para outras. Caso alguém tenha se interessado, minhas escolhas foram: Mosqueteira, Fornalha e Bola de Fogo, observando, dentre outros fatores, justamente o fato de serem cartas coringas que podem ser adaptadas para jogar em vários decks.

 

Conclusão

Acredito que lendo isso, muitas dessas coisas podem soar bastante óbvias e intuitivas, mas eu vejo muitos jogadores que simplesmente saíram utilizando seu ouro sem qualquer tipo de planejamento, e em determinado momento se viram trancados no jogo sem conseguir progredir, pois juntaram a quantidade de cartas que necessitavam, mas não tiveram a disciplina de economizar seu ouro para utilizá-lo de forma adequada.

Priorizar upar cartas coringas, e evitar de upar cartas com funções semelhantes, vai te permitir ter uma conta que te proporcionará utilizar uma variedade muito maior de decks, e não ficar tão vulnerável as atualizações e balanceamentos que têm ocorrido de forma mais frequente no jogo. Uma vez que você tenha conseguido upar as cartas que considera mais importantes em relação ao metagame atual, você parte para as próximas!

E se você acha que fez algumas escolhas erradas ao longo do caminho, não se desespere, procure aplicar essas dicas daqui pra frente e escolher com sabedoria onde investir suas economias. Muito obrigado por sua leitura, até breve!

ps: sinta-se parabenizado se entendeu o trocadilho do título.

#JOGOLIMPO

Dicas de Ouro…
4.7 (94.67%) 30 votes

Comentários via Facebook

Clash Royale Dicas no Google Play